>

Keblinger

Keblinger

"Pegadas na areia"

| 21 junho 2011


Uma noite eu tive um sonho...

Sonhei que estava a andar na praia com o Senhor
e através do Céu, passavam cenas da minha vida.
Para cada cena que se passava, percebi que eram deixados
dois pares de pegadas na areia;
Um era meu e o outro do Senhor.
Quando a última cena da minha vida passou
Diante de nós, olhei para trás, para as pegadas
na areia e notei que muitas vezes, no caminho da
minha vida havia apenas um par de pegadas na areia.
Notei também, que isso aconteceu nos momentos
mais difíceis e angustiantes do meu viver.
Isso entristeceu-me deveras, e perguntei
então ao Senhor:
"- Senhor, Tu me disseste que, uma vez
que eu resolvi seguir-Te, Tu andarias sempre
comigo, todo o caminho. Contudo, notei que
durante as maiores atribulações do meu viver
havia na areia dos caminhos da vida,
apenas um par de pegadas. Não compreendo
porque nas horas em que mais necessitava de Ti,
Tu me deixaste sozinho."
O Senhor respondeu-me:
"- Meu querido filho. Eu te amo e
jamais te deixaria nas horas de provação
e sofrimento.
Quando viste na areia, apenas um par de pegadas, foi exactamente aí que nos braços te carreguei."


Poema escrito em 1936 por Mary Stevenson


Este foi o poema que escolhi para entregar aos meus catequizandos do 10.º ano na altura do Natal. Reconhecendo que a juventude acarreta momentos difíceis para aqueles que estão a tentar encontrar-se a si mesmos, achei que seria bom dar-lhes a conhecer uma mensagem que facilmente transpõem para as suas vidas.
A fé é um dom que nos foi concedido por Deus, mas ao longo da caminhada terrestre surgem obstáculos e dificuldades que nos abalam e nos entristecem. Nem sempre nesses momentos o ser humano encontra a força necessária, dentro de si, para os contornar e ser feliz, o mesmo será dizer que por vezes, na sua imperfeição o Homem desacredita Deus e substitui a fé por ódio e revolta. Por isso, cabe a todos os cristãos sobretudo àqueles que proclamam a palavra de Deus, garantir que esta chega ao próximo para que nesses momentos ele saiba procurar Deus e confie no seu amor e bondade.
Naqueles momentos difíceis, apesar de nós sentirmos dor, perda e desânimo devemos confiar em Deus porque Ele nunca nos abandona e está connosco mesmo que só mais tarde consigamos entender isso. 
São esses momentos que testam a nossa fé e nos levam a perceber até que ponto entregamos a nossa vida a Deus!


Madalena Nascimento, catequista


1 comentários:

Enviar um comentário

 

Copyright © 2011 - 2018 Catequese de Rendufinho