>

Keblinger

Keblinger

Rosário Vocacional

| 10 novembro 2011
Esta semana a Igreja, que somos todos nós, é convidada a rezar pelas vocações, mais especificamente pelas vocações sacerdotais, pelos seminaristas que se preparam para serem pastores consagrados totalmente a Deus e ao seu povo.
Eis uma forma de todos os dias da semana lembrares e rezares por todos os seminaristas...


MISTÉRIOS GOZOSOS (Segundas e Sábados).

1º A Anunciação do Anjo S. Gabriel a Nossa Senhora (LC 1, 26-38).


Da mesma forma que Deus irrompe na vida de Maria através do anjo Gabriel para lhe manifestar a vocação a que foi chamada, também segue a nos chamar, através de múltiplas mediações, para nos encomendar uma missão na Igreja para o mundo. Havemos de estar atentos para descobrir o chamamento que Deus nos faz para O servir de diferentes modos na azáfama do dia‑a‑dia.

Peçamos à Virgem Maria pelos que estão a discernir a vocação, que se perguntam pela vontade do Pai, para que saibam descobrir as mediações vocacionais que Deus coloca na sua caminhada.


2º A Visitação da Santíssima Virgem a sua Prima Santa Isabel (LC 1, 39-56).


No silêncio do caminho para a casa da sua prima Isabel, Maria medita sobre o dom recebido. O sentido da sua vocação forja‑se na ajuda prestada a sua prima, no serviço desinteressado de quem o necessita. O chamamento de Deus traduz‑se sempre em atitudes e gestos de amor e de serviço aos necessitados.

Peçamos à Virgem Maria pelos que vivem a sua vocação em doação aos outros.
Peçamos especialmente pelos fiéis leigos que, através das suas diferentes actividades, profissões e estados de vida, prolongam a obra da criação e da redenção no meio do mundo.



3º O Nascimento de Jesus no Presépio de Belém (LC 2, 1-7).

No mistério de Belém, na nudez e humildade do presépio, fazem‑se presentes a graça e a misericórdia de Deus como dom para toda a humanidade. Perante semelhante gesto de amor, só cabe o silêncio de Maria e de José e o reconhecimento dos pastores que vêm a adorar o Menino recém‑nascido.

Peçamos à Virgem Maria pela Igreja, para que seja fiel à vocação de transmitir a Boa Nova da salvação a todos os homens: Deus fez‑se homem para nos salvar, por pura graça, por puro amor.




4º A Apresentação de Jesus no Templo e Purificação de Nossa Senhora (LC 2, 22-40).

José e Maria, fiéis à tradição de apresentar o varão primogénito a Deus, acodem ao templo para realizar a sua oferenda. Assim, ensinam‑nos uma atitude cristã fundamental: a de apresentar e oferecer continuamente a própria vida, com as suas alegrias e tristezas, a Deus, nosso Pai, fonte e origem da existência.

Peçamos à Virgem Maria pelos consagrados e consagradas que se esforçam constantemente em oferecer a própria vida a Deus e aos irmãos, para que não desfaleçam no seu testemunho oblativo.



5º A Perda e o Encontro do Menino Jesus no Templo entre os Doutores (LC 2, 41-52).

Jesus começa a explicar as Escrituras, no templo, lugar da presença de Deus, aos mestres e doutores. Os padres devem ser grandes conhecedores da Palavra de Deus para a oferecer ao povo de Deus na pregação e na guia da comunidade eclesial.

Peçamos à Virgem Maria pelos padres, para que, atentos à Palavra de Deus, saibam transmitir a todos os fiéis a Boa Nova da salvação. Peçamos à nossa Mãe e Mãe dos sacerdotes, que os proteja e lhes conceda de Deus Pai o dom da fidelidade à vocação recebida.



MISTÉRIOS DOLOROSOS (Terças e Sextas).

1º A Agonia de Jesus no Horto das Oliveiras (LC 22, 39-46).

Apesar da angústia e da tristeza, Jesus persevera na oração confiada ao Pai, mostrando‑nos num momento tão singular e dramático a essência da oração cristã: pôr‑se nas mãos do Pai para cumprir a sua vontade. Responder aos apelos que Deus nos faz a cada um de nós não é outra coisa que cumprir a sua vontade, coisa nem sempre fácil.

Peçamos à Virgem Maria por todos nós, para que nos conceda ser orantes infatigáveis à procura da vontade de Deus, para pô‑la sempre em prática na nossa vocação pessoal.



2º A Flagelação de Jesus (MC 15, 15).

A perplexidade que provoca em nós a injusta agressão contra Jesus, aumenta‑se ao contemplarmos as agressões e atropelos ao longo da história e nos nossos dias.

Peçamos à Virgem Maria pelos cristãos que hoje, em muitas partes e em grande número, são flagelados e até martirizados por causa da sua fé, para que experimentem a alegria da fé e a força do Espírito.




3º A Coroação de Espinhos (MC 15, 16-20).

Entre burlas e escárnios revela‑se paradoxalmente a identidade de Jesus Cristo: Ele é o Rei dos judeus e do mundo. A realeza de Cristo não se manifesta no poder, nas honrarias, no prestígio, nem no êxito. A realeza de Cristo manifesta‑se no serviço humilde e compassivo, na entrega da vida por amor.

Peçamos à Virgem Maria pelo Papa, bispos, padres e diáconos, para que guiem as comunidades cristãs com humildade, espírito de serviço e entrega desinteressada, e sejam assim promotores de todas as vocações.


4º A Subida de Jesus ao Monte Calvário com a Cruz às Costas (MT 27, 32‑38).

Ao caminho do Calvário, Jesus contempla, a partir do próprio sofrimento, o mal e todo o sofrimento do mundo, para assumi‑lo e redimi‑lo no sacrifício da cruz. Mas precisa ser ajudado por um homem: Simão de Cirine.


Peçamos à Virgem Maria pelos que gastam as suas vida em terras de missão – padres, religiosos ou leigos – para que tenham viva consciência que no exercício do seu ministério missionário “completam em si o que falta às tribulações de Cristo, pelo seu Corpo, que é a Igreja” (Cl 1, 24).



5º A Crucifixão e Morte do Senhor (Jo 19, 25-30).

A morte de Jesus na cruz é um acontecimento injusto, sumamente doloroso e ignominioso. Chegada a Hora da confirmação da Nova Aliança, ao pé da cruz estavam a Mãe de Jesus e o discípulo, testemunhas do facto e destinatários do Testamento de Jesus na cruz. Perante este mistério só cabem a fé e o silêncio agradecido.

Peçamos à Virgem Maria por todos os que somos discípulos de Jesus, para que acolhamos Maria como Mãe, pondo assim em prática o Testamento da Cruz.





MISTÉRIOS GLORIOSOS (Quartas e Domingos).

1º A Ressurreição de Jesus (LC 24, 1-7).

A Ressurreição de Jesus Cristo é o centro do Evangelho. Se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, é vã também a nossa fé (1 Cor 15, 14). A Ressurreição de Cristo transcende a ordem do criado e aponta para a definitiva intervenção de Deus na história humana.

Peçamos à Virgem Maria por todos os discípulos de Jesus, para que encontremos na Ressurreição de Cristo o manancial de todo o nosso ser e agir cristãos.



2º A Ascensão de Jesus ao Céu (LC 24, 50-53).

Jesus Cristo, “deixa o mundo e volta para o Pai”, mas levando consigo a carne da sua humanidade, que é também a mesma carne da nossa humanidade. Desta forma, a história humana passa a ter parte no mistério de Deus. A Santa Trindade introduz‑nos e configura‑nos ao seu mistério de santidade.

Peçamos à Virgem Maria por todos os baptizados, para respondermos com fidelidade, segundo a própria vocação, à comum vocação, à santidade, e assim realizemos cada um na sua parte a missão da Igreja.




3º A Descida do Espírito Santo sobre os Apóstolos e Nossa Senhora, reunidos no Cenáculo (Act 2, 1-4).

Após a Ascensão de Jesus, o Espírito Santo fica connosco como alma da Igreja e protagonista da Missão, tornando todos os discípulos de Jesus audaciosos no cumprimento da Missão da Igreja segundo a vocação pessoal.

Peçamos à Virgem Maria pelo Papa, bispos, sacerdotes e diáconos para que, dóceis ao Espírito, guiem a Igreja no cumprimento da sua Missão e façam Cristo presente no meio dos homens.




4º A Assunção de Nossa Senhora ao Céu .

A Virgem Maria, introduzida em corpo e alma no Céu, vê culminada, junto do seu Filho glorificado, a sua vocação de Mãe de Jesus e Mãe da Igreja e mostra‑nos antecipadamente o destino final de toda a humanidade.

Peçamos à Virgem Maria por todas as mães e pais, para que recebam os filhos como dom de Deus e os eduquem vocacionalmente como pessoas, cristãos e cidadãos.




5º A Coroação de Nossa Senhora como Rainha do Céu e da Terra.

A Virgem Maria, glorificada no seio da Santíssima Trindade, é modelo para todas as vocações na Igreja e sua intercessora.

Peçamos à Virgem Maria pelas vocações à vida consagrada e missionária, e especialmente pelas vocações ao ministério presbiteral; que Ela advogue diante de Deus para que à Igreja não lhe faltem os trabalhadores da messe de que tanto necessita.





MISTÉRIOS LUMINOSOS (Quintas-feiras).

1º O Baptismo de Jesus no Rio Jordão (MT 3, 13-17).

Tu és o meu Filho muito amado, em ti pus todo o meu agrado. Estas palavras que vêm do Céu, referidas a Jesus no momento do seu baptismo, são também para cada cristão no momento do seu baptismo, quando entramos a formar parte da Igreja. No baptismo somos chamados à santidade, somos introduzidos no mistério do amor trinitário.

Peçamos à Virgem Maria por todos os baptizados, para que sejamos fiéis à nossa vocação baptismal na santidade de vida.




2º A Revelação de Jesus nas Bodas de Caná (Jo 2, 1-11).

No ‘sinal’ realizado por Jesus, num banquete de bodas, a pedido da Mãe, auto‑revela‑se como o noivo/esposo da futura Nova Aliança, que será realidade quando chegar “a Hora” e a água não seja transformada em vinho, mas o vinho no seu sangue, num gesto de amor mais forte que a morte. Os discípulos, testemunhas do agir de Jesus e da intercessão da Mãe, acreditam mais em Jesus e tornam‑se melhores discípulos.

Peçamos à Virgem Maria pelos chamados ao matrimónio e pelas famílias, igrejas domésticas e viveiros das vocações.


3º O Anúncio do Reino de Deus, com o convite à conversão (MC 1, 14-15).

Na sua peregrinação pelas aldeias da Galileia, Jesus apregoa a vinda do Reino de Deus. Para o acolher é necessária a conversão, deixar que o Senhor transforme o coração, trocar a escala de valores. A vocação cristã exige a conversão, isto é, deixar que os valores do Reino se enraízem no nosso coração.

Peçamos à Virgem Maria pelos leigos, para que nas suas ocupações, trabalhos profissionais e famílias se empenhem em fazer presente o Reino de Deus entre os homens e construam uma sociedade cada vez mais de acordo com os seus valores.


4º A Transfiguração do Senhor (MT 17, 1-9).

Este é o meu Filho muito amado, no qual pus todo o meu agrado. Escutai‑O. A voz vinda do Pai acredita o Filho perante os discípulos. Conhecer Jesus e escutar e cumprir a sua Palavra são as condições de todo o discípulo.

Peçamos à Virgem Maria pelos religiosos e religiosas contemplativos, especialmente vocacionados para permanecer com Jesus no monte da contemplação, para que dêem testemunho do absoluto de Deus no meio dos homens.



5º A Instituição da Santíssima Eucaristia (LC 22, 14-20).

Cada vez que celebramos a Eucaristia actualiza‑se o mistério pascal da nossa salvação.
Perante o mistério apenas cabem a veneração e a participação gozosa, conscientes de que toda a vocação arranca da Eucaristia e conduz a ela.

Peçamos à Virgem Maria pelos sacerdotes, para que ao presidir a celebração da Eucaristia em nome de Cristo e da Igreja, encontrem nela o fundamento da sua vocação e vivam eucaristicamente todo o seu ministério.



Retirado do guião da Semana dos Seminários 2011

0 comentários:

Enviar um comentário

 

Copyright © 2011 Catequese de Rendufinho