Peregrinação das Crianças a Fátima | 2015

Eucaristia no recinto

Visita ao calvário húngaro e Loca do Cabeço


Na alvorada do dia 10, pouco a pouco, foi-se sentindo o crepúsculo matutino imbuído na vontade de regressar à casa da Mãe. Antevíamos mais uma bela Peregrinação das Crianças ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima não estivéssemos nós no quinto ciclo de preparação do centenário das Aparições de Fátima. E quando lá chegámos, era bem cedo, já se viam grupos com cores a representar pessoas e contextos de fé. Também se viam arranjos adornados com as flores que foram sendo feitas durante o mês Mariano. Nós também levamos as nossas para oferecer a Maria, Nossa Mãe. Mais tarde, na Missa das 11, ir-nos-ia ser explicado com muito pormenor o seu verdadeiro significado. Mas só depois da visita à Basílica da Santíssima Trindade onde decorreu uma ilustrativa encenação intitulada "Aprender a Rezar com os Pastorinhos". Pois é, tudo estava preparado para que vivêssemos o grande tema da peregrinação deste ano centrada na 4ª aparição de Nossa Senhora, em Agosto de 1917 nos Valinhos. "Rezai, rezai muito e fazei sacrifícios pelos pecadores..." disse Nossa Senhora aos pastorinhos nessa aparição! E quem melhor do que os Pastorinhos para nos ensinar a rezar a Nossa Senhora. De vozes projetadas cantámos na Basílica da Santíssima Trindade: " Pastorinhos, Pastorinhos, Convosco quero aprender. Mãos postas em Oração, por todos os que Deus quer". É o mistério da Comunhão no qual somos intercessores uns pelos outros junto de Deus, à semelhança de Lúcia, Francisco e Jacinta que rezaram e fizeram sacrifícios por cada um de nós. Aprendemos com a encenação de três crianças em palco muitas formas de rezar...

Eucaristia no recinto

Eucaristia no recinto

Foi a nossa oração que fez com que a enorme flor insuflável que estava no recinto voltasse a florescer depois de murchar. Uma bela forma de transmitir que a oração dá vida! É que depois de deixarmos de ver a flor que no início da celebração eucarística embelezava o recinto fomos convidados a rezar e não é que a flor renasceu! No ímpeto de muitas interpretações, algumas que dependem muito das nossas crenças e esperanças, D. Francisco Senra de Faria Coelho, bispo auxiliar de Braga que presidiu à peregrinação, segredou-nos que cada Avé Maria rezada a nossa Senhora é uma flor oferecida.
Ia o dia mais ou menos a meio quando, chegada a hora de uma pequena pausa para o almoço, nos recolhemos num espaço acolhedor, de portas abertas pelas nossas caras amigas, as Cooperadoras da Família. Foi um momento de transição, tranquilo, para nos prepararmos para o que vinha, desta vez, nos Valinhos. Então não foi lá que Nossa Senhora apareceu em Agosto aos Pastorinhos? Pois bem... nós fomos até lá! Rezámos, refletimos, cantámos. Pelo chão daquela caminhada revivemos outros tempos e imaginámos a beleza e seriedade das Aparições. Eis uma bela forma de terminar a nossa peregrinação e um belo impulso para a vida! 
Chegada à Basílica da Santíssima Trindade

Reflexões no percurso dos Valinhos

Chegada a Fátima, visita aos Túmulos dos pastorinhos e a procissão do Adeus

Local do almoço - Casa das Cooperadoras da Família

Basília da NS do Rosário (túmulos dos pastorinhos) e Basílica da SS. Trindade

Basílica da SS. Trindade e Valinhos

Valinhos e Calvário Hungaro

Paula Pereira, catequista
Junho 2015



Com tecnologia do Blogger.